É baile que segue...! Ídolo do Santos, Renato troca vida de atleta pela de cartola no clube

by - domingo, janeiro 06, 2019

É baile que segue...! Ídolo do Santos, Renato troca vida de atleta pela de cartola no clube.

Ídolo do Santos, Renato troca vida de atleta pela de cartola no clube

Hum...! Merecidamente...! Pois é, na sala de Renato,  no Centro de Treinamento do Santos, um quadro à esquerda da mesa,  mostra Robinho com a bola nos pés, partindo para driblar Rogério. É a imagem do maior momento da carreira do volante, agora aposentado, e novo gerente de futebol do clube. O lance que ficou eternizado da final do Campeonato Brasileiro de 2002. "Foi meu primeiro título profissional, o que tirou o Santos da fila e contra o Corinthians. Foi um marco. O momento mais importante da minha carreira", disse o ex-craque  à reportagem antes da partida contra o Sport, pela última rodada do Brasileiro de 2018. Renato assumiu o cargo durante um ano em que tudo deu errado para o clube. O time terminou a temporada sem títulos, com uma crise política atrás da outra, tentativa de impeachment do presidente José Carlos Peres e eliminação na Libertadores causada pela escalação irregular de Carlos Sánchez. O time não estará no torneio continental mais importante em 2019, após terminar o Brasileiro deste ano em nono lugar. Escolhido por sugestão de Cuca no meio do caos político que o Santos viveu, Renato tem o temperamento ideal não apenas para a função de bastidores, mas para ocupá-lo em momento conturbado. Sempre tranquilo, com o tom de voz inabalável, ele era a imagem da calma como jogador e diz que não será muito diferente como dirigente. Era um volante que jamais reclamava da arbitragem ou dava um pontapé em adversário. "É bom ter calma. Dentro de campo eu era assim, mas não quer dizer que não fique de sangue quente. Procurava sempre manter a tranquilidade porque fazendo isso, você consegue sair de qualquer situação. Não adianta bater desespero porque aí você vai fazer a coisa errada", analisa. Ele sabe que o estresse vai chegar, ainda mais no Santos, time em que se aposentou como ídolo e referência dos outros jogadores. Quando isso acontecer, ele usará a mesma forma da época de jogador. O futebol não é o único interesse de Renato, dono de empresa de investimento imobiliário em São Paulo. Mas a chance de continuar envolvido com o Santos,  era boa demais para recusar. Ainda mais na próxima temporada, quando ele sabe que o clube não terá o mesmo poder de fogo no mercado que os rivais. Ele já era o elo entre elenco e diretoria mesmo antes de assumir o cargo. Levava reclamações, pedidos e reivindicações. Agora será obrigado a também fazer cobranças. Sempre com o mesmo estilo calmo, sem estresse.

Fonte: Esporte ao Minuto
Foto: reprodução/Reuters 



You May Also Like

0 Comments