segunda-feira, abril 23, 2018

Todo cuidado é pouco! Faturar o pênis na hora do sexo, é mais comum do que se imagina


Hum...! Todo cuidado é pouco..! Se você ainda tem dúvida de que os pais fazem qualquer coisa pelos filhos, precisa conhecer Ross Asdourian, a mãe do comediante nove-iorquino Asdourian. Após o filho de 32 anos fraturar o pênis de forma severa durante uma relação sexual, foi ela quem o ajudou urinar. Esse exemplo de amor materno, os detalhes de como foi quebrar o pênis e todo o processo de recuperação é detalhado de forma leve e divertida no livro “Broken Bananah: Comédia, Vida e Sexo”, escrito pelo próprio comediante que sofreu o doloroso acidente há 3 anos enquanto fazia sexo.

“Acho que todos os homens sabem que isso [fraturar o membro] é possível. Ainda ouso dar um passo adiante e dizer que a maioria dos homens provavelmente já passou por um susto por ter se inclinado um pouco demais no sexo, inclusive eu”, conta ele em entrevista à “CNN”.

Rajveer Purohit, diretor de urologia reconstrutiva do Mount Sinai Hospital, em Nova York, e principal cirurgião no caso de Asdourian, explica que o corpo cavernoso é um tecido único que só está presente no pênis e acrescenta que, quando você está prestes a ter uma ereção, o sangue flui para o corpo cavernoso, que se enche como uma esponja. Ainda segundo o especialista, quando muita pressão é aplicada ao corpo cavernoso, o tecido em torno dele pode rasgar, causando uma ruptura corporal, como um balão de água quando estoura.

Após constatada a fratura, o comediante passou por um procedimento conhecido como cistoscopia, no qual uma câmera é inserida no membro para avaliar os danos na uretra e na bexiga. Como a lesão de Asdourian era grave, ele teve de passar imediatamente por uma cirurgia de 3 horas para “consertar” seu pênis. “Eu fiz uma uretroplastia, na qual limpamos as bordas da uretra e colocamos as duas bordas juntas”, expõe o cirurgião.

Apesar da cirurgia, Asdourian não conseguiu fazer xixi sozinho por vários meses, e foi nesse momento que precisou contar com a ajuda da mãe. “Várias pessoas me ajudaram a fazer xixi, incluindo minha mãe, enquanto eu passeava pela cidade de Nova York amarrado a um tubo de micção”, afirma ele no livro, que não está disponível em português.

Caso raro? Nem tantoassim

Apesar de parecer algo longe da realidade, quebrar o pênis é mais comum do que você imagina. Segundo um estudo de 2002, mais de 1,3 mil casos de fraturas penianas foram mencionadas na literatura médica desde 1935. Jack Mydlo, professor e presidente de cirurgia urológica na Temple University (EUA), conta que se depara com uma ou duas rupturas penianas por mês. Se isso é só no consultório dele, imagine no resto do mundo?

Fonte: IG