segunda-feira, setembro 18, 2017

Do jogo das cadeiras...! É disso de que depende a renovação dos mandatos dos deputados do RN


Resultado de imagem para deputados federais do RN

Hum...! Jogo das cadeiras...! Pois é, pensando bem, com o provável fim das coligações, já aprovadas em primeiro turno pela Câmara Federal, vai modificar completamente o quadro político potiguar  na eleição para o parlamento nacional, em razão da meta de alcançar o quociente eleitoral por cada agremiação política. Nas eleições de 2014, apenas o PMDB conseguiu êxito em obter votos para alcançar o tal quociente eleitoral, e caso já estivesse em vigor o fim das coligações, a legenda do bacuraus, teria eleito os  8 deputados federais. No pleito de 2018, o quociente eleitoral para a Câmara Federal, será em torno de 210 mil votos, o que é quase impossível um partido no RN, obter esse número, com o atual quadro político, onde cada deputado é filiado a uma legenda política diferente. Os deputados Antonio Jácome (PODEMOS) e Beto Rosado (PP), para conseguir renovar os seus mandatos terão que procurar abrigo em outro Partido, pois as suas siglas partidárias, não terão a menor chance de alcançar o quociente eleitoral no pleito do próximo ano. A candidatura de João Maia à Câmara Federal é bastante crítica, pois o PR terá grandes dificuldades de manter a cadeira em Brasília(DF) e a legenda não tem quadros para fazer “esteira” para essa empreitada. Os parlamentares Felipe Maia (DEM) e Rogério Marinho (PSDB), terão que se unir em uma só legenda partidária, pois isolados, não lograrão sucesso em permanecer na Câmara dos Deputados, no pleito de 2018. Resta saber quem mudará de legenda, o neto de Tarcisio  Maia ou o neto de Djalma Marinho. Para onde marchará o deputado Fábio Faria(PSD/RN)? A sua situação política depende da gestão administrativa do seu pai governador, Robinson Faria, que pelo visto não vai tão  bem assim.  A única oportunidade que  o genro de Silvio Santos  tem de renovar o seu mandato de deputado federal, é atrair outros candidatos a reeleição para a sua legenda, com a finalidade de agregar votos e atingir o quociente eleitoral, e assim salvar a sua candidatura. Navegando em “céu de brigadeiro”, está o deputado Walter Alves do Partido do Movimento Democrático Brasileiro(  PMDB), sabe que a sua legenda, tem todas as possibilidades de obter o quociente eleitoral no pleito de 2018, renovando o seu mandato na Câmara Federal e levando de reboque outros companheiros. Já Rafael Motta ( PSB/RN), tem partido e voto para tanto será que tem?

Fonte: Blog de Robson Pires