sexta-feira, agosto 25, 2017

Um novo homem...! Dado Dolabella dispara: ‘Colho os frutos de um passado de violência’


dado-dolabella-fazenda-record-20090828-original.jpeg: Dado Dolabella

Hum..! Um novo homem...! “Assumo toda e qualquer culpa por todos os meus atos impulsivos e reativos no passado, vou viver o resto da vida limpo de crueldade nas minhas veias. Perdão. Hoje acredito na vibração positiva. Acredito na vida. #GoVegan.” É assim, num misto de mea culpa e de propaganda pró-veganismo, que o multimais, ator e cantor, o tudo de bom.com, Dado Dolabella, recém-libertado da prisão por ser preso ilegalmente conclui um textão publicado em sua página no Facebook. Convertido ao veganismo, assunto de praticamente todos os seus posts nas redes sociais há mais de um ano, Dado atribui à carne o comportamento agressivo que demonstrou ao longo dos anos. “Hoje, tô colhendo frutos de um passado recheado de violência que começa no prato de comida. 90% (+/-) do que comia vinha com proteína animal. E não venha me dizer que não existe relação!”, escreve ele. “Imagina você sendo assassinado sentindo o cheiro do sangue dos seus semelhantes, encurralado, tomando uma facada no pescoço, pendurado de cabeça pra baixo, totalmente consciente e sangrando até o coração não ter mais forças. O que sentiria? Esse é o real gosto da carne. De ódio. Do terror. Da morte”, argumenta. “Ingerir sofrimento e exalar amor? A mente não domina o corpo. Muitas vezes os hormônios sentidos e sintéticos dos animais falam mais alto. A carne fica fraca. E o juízo, nulo. Aí, que todo um sistema doente se alimenta. Não é à toa que hospitais e presídios estão superlotados. É preciso olhar menos pro ego, e mais para o eco. A corrupção e a violência começam na alimentação. Fico pensando quantas coisas não seriam diferentes se eu fosse vegano (sangue limpo e alcalino) antes.” Sobre o processo movido por uma das mães de seus três filhos, Dado não comenta. O caso corre em segredo de Justiça.Do blog: errar é um humano e corrigir esse erro é mais humano ainda.

Fonte: Famosidade