segunda-feira, setembro 12, 2016

Chegou a hora...! Agora ou vai ou rachar...!!!


Hum...! É hoje...! Pois é, exatamente  336 dias após o  PSOL e Rede,  protocolarem pedido de cassação no Conselho de Ética da Câmara Federal , o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deverá ser julgado nesta segunda-feira, dia ( 12/09 ), pelo plenário daquela Casa parlamentar. Depois de inúmeras manobras durante toda a tramitação do processo, o caso do peemedebista chega ao estágio final. Aliados de Cunha, porém, ainda pretendem adiar a votação ou aprovar uma pena mais branda. Para que Eduardo Cunha tenha o mandato cassado são necessários votos de 257 deputados. Conforme o Placar do Estado, 280 deputados já declararam voto a favor da perda de mandato. Cunha chega à reta final de seu processo enfraquecido. 

O rito:

1) A partir das 19h, o presidente da Casa abrirá a sessão que vota a cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), desde que haja ao menos 257 deputados presentes.

2) O primeiro a falar, por 25 minutos, é o relator do pedido de cassação, Marcos Rogério (DEM-RO).

3) Na sequência fala o advogado do deputado afastado, Marcelo Nobre, por 25 minutos.

4) Eduardo Cunha também usará a tribuna para fazer seu último apelo aos colegas. Ele terá 25 minutos.

5) Cada parlamentar inscrito para falar na sessão terá até 10 minutos para isso.

6) Encerrada a discussão, os deputados serão chamados a votar. O voto será eletrônico e aberto. São necessários 257 votos favoráveis à cassação.

Questões de ordem:

Pelo regimento, as questões de ordem podem ser apresentadas a qualquer momento da sessão. Maia, porém, disse que gostaria que os questionamentos fossem feitos no início dos trabalhos.

Resultado:

Se for cassado, Eduardo Cunha perde prerrogativas e benefícios de deputado federal; perde o foro privilegiado; e ficará inelegível por 10 anos e 3 meses.

Fonte: Estadão
Foto: Reprodução/net