quarta-feira, junho 15, 2016

Tristeza: Atirador usava aplicativo LGBT e frequentava boate gay onde matou 49 pessoas


Omar Mateen, cidadão americano de família afegã, de 29 anos (Foto: Reprodução)

Hum...! Tristeza...! O homem que matou 49 pessoas na boate gay Pulse, em Orlando, nos EUA, que segundo depoimento do próprio pai, tinha repulsa a homossexuais, foi visto diversas vezes bebendo e falando alto no bar. Omar Mateen, 29 anos, também foi visto em bate-papos de aplicativos para a população LGBT. , As informações são de pessoas que frequentam a boate, que no último sábado, dia (11/06), depois de Omar Mateen entrar armado e instaurar o pânico entre o público, virou cenário do segundo maior atentado terrorismo em solo norte-americano. Ao jornal Orlando Sentinel, Ty Smith, um cliente da boate, disse que diversas vezes viu Mateen bebendo num canto do bar e tendo comportamento agressivo. Certa vez, ouviu o rapaz dizer que tinha esposa e filho. Em entrevista ao jornal Los Angeles Times, Kevin West, outro frequentador da Pulse, disse que Omar Mateen enviou mensagens a ele por meio de um aplicativo gay. As conversas ocorreram um ano antes do atentado, quando West viu Mateen circulando pela boate. Omar Siddique Mateen vivia em Port Saint Lucie, cidade costeira ao sul de Orlando. A descendência afegã de Mateen, um cidadão norte-americano, deixa dúvidas se o atentado deve ser tratado como ato terrorista ou crime de ódio com tendência homofóbica. A polícia considera a última possibilidade. Em entrevista à rede de televisão NBC, o pai de Mateen, o senhor Mir Siddique, disse que o filho ficava revoltado com homossexuais. Em entrevista ao jornal New York Times, a ex-esposa de Mateen, Sitora Yusufiy, disse que o rapaz batia nela e que às vezes, enquanto ela dormia, o ex-marido a abusava. Yusufiy reafirmou que Mateen implicava com homossexuais. Do Blog: Essa historia,quanto mais detalhada fica mais maluca. parece até um caso de fuga  de identidade 

Foto: Reprodução/Net