sábado, junho 11, 2016

Mural do constrangimento...! Romário Faria, é suspeito de receber caixa dois de empreiteira do petrolão


romario_CBF


Hum...! Fato ou boato? A revista Época,  destaca que a Procuradoria-Geral da República(PGR),  pediu ao Supremo Tribunal Federal(STF),  para investigar o senador Romário  Faria(PSB-RJ),  pela suspeita de receber caixa dois de campanha na eleição de 2014. De acordo com a publicação, a investigação da suspeita é que a empreiteira Odebrecht,  supostamente deu R$ 100 mil ao senador. Registrada no STF como a petição 6.052, a investigação sigilosa,  ainda é inicial e caberá aos aos procuradores levantar provas,  se de fato houve pagamentos ao senador. Ele nega. O indício surgiu a partir de mensagens de celular trocadas entre Marcelo Odebrecht e seu subordinado Benedicto Barbosa da Silva Júnior, logo após a eleição de 2014. Esse é o primeiro caso até aqui revelado sobre as provas obtidas a partir das mensagens de celular de Marcelo Odebrecht. O potencial é explosivo. Em seu telefone celular, o empreiteiro mantinha uma vasta coleção de anotações sobre a Lava Jato. O caso de Romário,  foi tipificado como dois crimes a ser investigados: corrupção e lavagem de dinheiro. O pedido de Janot,  foi encaminhado ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Teori poderá tomar dois caminhos. Se entender que o caso tem relação com o petrolão, ele deverá abrir um inquérito. Ele pode ainda submeter a decisão ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, caso conclua que não há relação direta com os desvios da Petrobras. Por meio de sua assessoria, Romário negou as suspeitas e disse que nem sequer houve tratativas com a empreiteiras. “O senador Romário não recebeu qualquer doação da Odebrecht nem intermediou qualquer doação a outras campanhas. Todas as doações recebidas foram legais e registradas na prestação de contas da campanha de 2014. Romário nunca conversou com Marcelo Odebrecht ou com qualquer pessoa que tenha se identificado como seu emissário. Enquanto candidato, ele também não autorizou qualquer pessoa a falar em seu nome”, disse. Na nota, Romário afirmou que “refuta veementemente qualquer acusação de doações ilegais em suas campanhas”. A Odebrecht disse que não iria comentar.

Fonte: Revista ´Rpoca